Nota da escola no Enem não deve ser critério para escolher escola do filho

Classificação das escolas no Enem não deve ser o único parâmetro.
Especialistas dão orientações para os pais.

enemNa semana passada, o Ministério da Educação divulgou a nota de cada escola no Enem, mas escolher a escola dos filhos só por esse ranking pode não ser uma boa opção.

Mas então como escolher a melhor escola para o filho? É uma decisão difícil e muitos pais ficam de olho só na classificação da escola no Enem. A nota ajuda, mas não é a única coisa que deve ser levada em conta. É importante saber também qual é a formação dos professores, o tamanho da escola e o tempo de permanência dos alunos.

Este ano, o Ministério da Educação passou a divulgar todos esses indicadores. “É claro que nesse ambiente no ensino médio é preciso estudar. É preciso aprender, é preciso entrar na universidade, mas num ambiente de formação não num ambiente de competição artificial. E claramente não escolher a escola pelo nome, porque dentro do mesmo nome você ter escolas muito boas e escolas muito ruins”, fala o presidente do Inep, José Francisco Soares.

Um exemplo: um colégio particular do Distrito Federal aparece duas vezes na lista do Enem.

Uma em 3º lugar e outra em 30º. Os melhores alunos fizeram o Enem com um código e os demais com outro. Uma estratégia adotada por alguns colégios do país para se sobressair no exame.

O representante da associação dos pais no Distrito Federal, Luís Cláudio Megiorin, dá uma dica: "Os pais devem olhar o número de alunos que deve ser abaixo de 200 alunos, como mostrou essa edição do Enem, também isso significa que com número menor de alunos os professores são mais bem qualificados e com formação específica”.

Em nota, o Colégio Ideal, disse que a iniciativa de adotar códigos diferentes não teve como objetivo manipular os resultados do Enem e nem discriminar os alunos. O colégio também reiterou que isso não vai se repetir mais e pediu de desculpas aos pais e alunos.

Para quem está de olho na classificação das escolas, o Luís Claudio, da Associação de Pais, disse que as notas médias das provas objetivas devem ser acima de 700 pontos e a redação, 790 pontos.

Fonte: G1

#Compartilhar