Fenômeno conhecido como Lua Azul acontece nesta sexta-feira

Apesar do nome, a Lua Azul não é azul; entenda o motivo dela ser chamada assim

luaNesta sexta feira (31) acontece um fenômeno conhecido como Lua Azul. Apesar do nome, a cor da lua não fica azul. O que acontece é que este fenômeno, relativamente raro, acontece quando um mês tem duas luas cheias.

A última lua azul aconteceu em 31 de agosto de 2012, e a próximo está prevista para acontecer somente em março de 2018. Quer saber como ela ganhou esse nome? Primeiro é preciso entender que ela não se trata da Super Lua, aquela lua cheia que ocorre quando ela está no ponto da órbita mais próximo da Terra, chamado de perigeu.

Muito menos se trata da Lua de Sangue, que é quando o satélite fica com uma cor alaranjada ou avermelhada durante um eclipse lunar. A expressão “Lua Azul” tem sido usada há pelo menos 400 anos, mas não de forma apropriada.

Este significado nasceu de um erro ocorrido em 1946 e se tornou popular nos últimos 20 anos. Ao longo da história recente da humanidade, esse termo tem sido usado de diferentes formas.

Explicação Histórica

No século XVI dizer que a Lua era azul significava exprimir algum tipo de exagero. Dizia-se: “fulano é tão desligado que poderia falar que a Lua é azul!” Esse conceito levou a outra expressão que indicava uma probabilidade bem remota de algo acontecer.

Por exemplo, no século XVIII, dizia-se: “eu pagarei minha dívida com você quando a Lua estiver azul!”

Apesar de parecer improvável, já houve algumas vezes em que a Lua se tornou azul de fato. Em 1883, quando o vulcão Krakatoa explodiu na Indonésia, a atmosfera ficou carregada por partículas de poeira e cinzas vulcânicas que fizeram o pôr do Sol ficar esverdeado e deixaram a Lua azul no mundo todo por aproximadamente dois anos.

Em tempos mais modernos a expressão Lua azul se tornou um sinônimo de coisa rara, mas também de tristeza. Várias músicas usam esta expressão para associar tristeza e solidão, basta checar algumas músicas de Elvis Presley.

Em março de 1946, na página 3 da edição deste mês, James Pruett, um astrônomo amador que escrevia costumeiramente para a revista, resolveu falar sobre luas azuis. Ele repetiu uma conclusão do tal almanaque, que dizia que: "Em 19 anos, sete vezes aconteceu (e ainda acontece) de haver 13 Luas cheias em um ano. Isto dá 11 meses com uma Lua cheia e um mês com duas". Mas concluiu de maneira equivocada que "esta segunda lua cheia do mês, assim eu interpreto, foi chamada de Lua azul."

Talvez por ser mais fácil de se entender, a própria revista encampou esta nova definição e passou a tratar desta maneira em suas páginas.

Definição Atual

Para explicar melhor, o fenômeno de Lua Azul não se trata da transformação do satélite na cor azulada. É apenas a constatação de que teremos duas luas cheias acontecendo num mesmo mês. Uma ótima desculpa para, caso seja noite de céu claro, abrir as janelas e curtir a vista.

Fonte: Correio 24 Horas

#Compartilhar