T. Pereira é desclassificado e tem recorde de Mr. Pan adiado

Brasileiro completa na frente os 400 m medley, mas é eliminado e ouro fica com compatriota Brandonn Almeida

thiago-pereiraO brasileiro Thiago Pereira completou nesta quinta-feira em primeiro os 400 m medley e se tornaria tricampeão pan-americano da prova. No entanto, os juízes encontraram irregularidades e ele foi desclassificado. A organização alegou que o nadador não tocou a parede da piscina com as duas mãos na virada do nado peito para o livre, o que é ilegal. O ouro , então, foi parar com o também brasileiro Brandonn Almeida, de apenas 18 anos.

"Não sei o que aconteceu. Uma pena. Queria fazer uma dobradinha com o Thiago. Eu o vi no alto do pódio em 2011 (Guadalajara). Mas estou muito feliz, pois não esperava. Não era a prova que eu treinei e não consigo descrever o que estou sentindo", disse Brandonn.

Com a decisão, Thiago Pereira segue com 21 medalhas na história do Pan, a uma do maior medalhista da história da competição, o ex-ginasta cubano Erick Lopez . O brasileiro ainda terá mais duas oportunidades para igualar e/ou bater a marca: nos 200 m medley e 4x100 m medley.

Após a prova, ele não escondeu a frustração e foi falar com os juízes. Eles alegaram que Thiago Pereira não tocou a parede da piscina com as duas mãos em uma das viradas. O Brasil protestou contra a decisão e em sequência apelou, mas a organização manteve a desqualificação do atleta nacional em uma das provas mais importantes de sua carreira.

"O Ricardo (de Moura, diretor da CBDA) está brigando. Já protestou e adiaram o pódio. É uma coisa meio impossível de acontecer e até ridícula. Porque a mecânica da virada já vai com duas mãos para bater. Não tem como. Acontece como o da canadense (Emily Overholt, punida também), do costas para o peito. Do peito para o crawl, eu nunca vi. Não tem como", explicou Thiago Pereira.

"Fico um pouco p... sim. Frustrado, não muito. Acho que não estava mais visado pelo recorde. Agora é como futebol. Se um juiz dá pênalti, não adianta (reclamar)", completou o brasileiro, que descartou participar das provas de nado costas para ter mais chances de bater o recode. Com os resultados mantidos, a prata fica com o canadense Luke Reilly, enquanto o bronze foi para o americano Max Williamson.

Fonte: Terra

#Compartilhar