“A Natureza”

natureza“Levanta-se o sol, e põe-se o sol, e volta ao seu lugar onde nasce de novo. O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; volve-se e revolve-se na sua carreira e retorna aos circuitos. Todos os rios correm para o mar, e o mar não se enche; ao lugar para onde correm os rios, para lá tornam eles a correr”. (Ec.1:5-7)

A criação de Deus é algo extremamente surpreendente costumo dizer que a natureza expressa à música do criador em notas magistrais. Se houve um dia que me tornei como criança, foi o dia em que eu vi a neve pela primeira vez, eu acho que não tem esse adulto que não volta a ser criança diante desse fantástico fenômeno da natureza.

Nessa ocasião eu morava na cidade Weybridge, interior da Inglaterra, ao me levantar para ir ao trabalho indo em direção ao banheiro próximo da escada que descia para parte inferior da casa havia uma janela paralela a porta do banheiro, quando olhei para fora pensei meu Deus como vou sair debaixo de chuva, mas quando me aproximei um pouco mais da janela eu percebi que aquilo lá fora não eram gotas de chuva e sim neve que caia do céu de uma maneira majestosa e maravilhosa. Quando dei por mim eu já havia acordado todo mundo eram aproximadamente umas 5 horas da manhã na casa gritando como uma criança NEVE, NEVE, TA CAINDO NEVE... e o pior que aquilo era novidade somente para mim.

A natureza tem esse poder de impressionar, de impactar, de maravilhar, de marcar e perpetuar momentos ou cenas incríveis às nossas vidas. O sábio Salomão discernia tudo isso, ele compreendia os movimentos da natureza e sabia que muitos depois de ter deixado sua existência aqui na terra que as forças da natureza continuariam nos seus percursos previsíveis. Perceba que ele está nos mostrando nesses versículos como a natureza trabalha no ponto de vista daqueles que ignora o Criador.

Para o sujeito que é fraco, que não é honesto o suficiente para encarar o fato de que todas as coisas vieram a existir pelas mãos poderosas de um Criador, a natureza não tem sentido para ele. O sol sai e se põe o vento sopra e uma direção e depois em outra, os rios continuam correndo inexoravelmente para os mesmos lugares e aqueles lugares nunca se enchem e suas fontes não secam. Eu te indago: qual é o propósito de tudo isso? Passa dias, passa semanas, meses, anos, séculos e a natureza continua trabalhando incansavelmente e continua fazendo isso mesmo depois que morrermos e isso são tudo que o secularista pode expressar acerca do assunto e permanecer objetivo em seus desonestos conceitos.

Entretanto, os crentes encontram grande significação na natureza. O nascer do sol e o ocaso levam-os a louvar ao Senhor por suas maravilhas e bênçãos (Sl.113:3). Quando vou para o rancho de um grande amigo, em Miguelópolis – SP, passar alguns dias me assento no tablado e sinto a minha alma sendo lavada e passo horas adorando ao Senhor (Sl.42:1). Não temo as manifestações bravias da natureza, pois confio no meu Senhor (Mc.4:39,41). Aprendo com a natureza e ate com meu pequeno corpo o quanto Deus se importa comigo (Mt.10:30). Quando vejo a foto do planeta terra tirado por um satélite eu fico extasiado e imagino quão belo deve ser o outro lugar que Ele está preparando para mim (Jo.14:3). Quando observo os animais e as aves aprendo que Deus é provedor que cuida de todos de uma maneira carinhosa como bom Pai (Mt.6:26, 28-29).

Para aqueles que não tiveram a experiência do novo nascimento em Cristo Jesus, para os incrédulos na natureza nada faz sentido. Chuva vem, chuva vai, neve vem, neve passa nada muda para ele. Todavia, para o crente no Criador a natureza é de grande significado e o inspira a adorá-lo em todo tempo.

Quero encerrar essa reflexão com você lembrando a frase que costumo dizer sobre a natureza, porém com uma revelação a mais. A natureza expressa à música do Criador em notas magistrais e você é uma delas.

Pense nisso!

Por Lindomar J.S. - Teólogo -

#Compartilhar