Os oprimidos serão consolados...

opressores“Vi ainda todas as opressões que se fazem debaixo do sol: vi as lágrimas dos que foram oprimidos, sem que ninguém os consolasse; vi a violência na mão dos opressores, sem que ninguém consolasse os oprimidos. Pelo que tenho por mais felizes os que já morreram, mais do que os que ainda vivem; porém mais que uns e outros tenho por feliz aquele que ainda não nasceu e não viu as más obras que se fazem debaixo do sol.”. (Ec.4:1-3).

Opressão uma realidade impossível de negar e esconder debaixo do sol. Na política sabemos a violência sistemática dos governos que assola o povo. Infelizmente temos que conviver de certa forma com a ideia de que a opressão é um modo de vida na maioria dos lugares espalhados pelo mundo (Sl.74:20).

A opressão e o suborno certamente torcem a mente do sábio e destrói rapidamente aquilo que o faz sábio e transforma seu coração de modo que se torne vulnerável ao suborno e entregue à lisonja. Assim sendo, aprendemos que melhor é aceitar a censura dos amigos do que se corromper pelo o louvor desonesto.

No âmbito pessoal, podemos ver a opressão vinda dos pais e esposos, o abuso de crianças na pedofilia produzida por adultos cruéis e insanos e a exploração de funcionários pelo seu patrão. Essa miséria é encontrada em todo nosso mundo. E o Sábio nos deixou ao nosso alcance a reflexão da sua influência no mundo.

O poder estimula o hábito da opressão e corrompe aqueles que o possuem. Quando o sábio declara que os oprimidos não têm quem os console está dizendo que não importa o que fazemos para consolar o oprimido e nem o quanto trabalhemos em prol deles a opressão não deixará de existir. Os opressores têm um estilo de vida ao qual eles sentem extremamente confortáveis, por incrível que pareça. Quem pode responder tão grande incógnita?

O mundo secular não se encontra resposta para esta realidade desagradável da vida, a reflexão mais uma vez nos leva a uma conclusão básica “vaidade de vaidades”. Contudo, Deus teve uma resposta clara para a opressão “Seu Filho Jesus”.

Jesus experimentou as piores realidades e brutais da vida. Seu julgamento foi verdadeiramente um escárnio da justiça e a sua morte foi real e dolorosa como qualquer outra morte. Ele foi extremamente oprimido (Is.53:7-8). Jesus sabia qual era sua missão e que Ele haveria de morrer, todavia também sabia que Ele haveria de viver. Toda injustiça, opressão e morte seriam por Ele derrotados.

O Mestre dos mestres nos ensina alimentar o faminto, ajudar o pobre, visitar as viúvas e os órfãos e praticar muitos outros atos de bondade e pacificação. O desafio é para que de um lado trabalhemos para corrigir a injustiça e a opressão e de outro compreendemos que esses males infelizmente continuarão até que Deus intervenha na história e estabeleça o Seu reino. O lado opressor da vida é real, todavia também há o lado real do Reino de Deus.

Por Lindomar J. S. Teólogo

#Compartilhar