Adorador é aquele que oferece tudo no altar.

adorador“Sei que nada há melhor para o homem do que regozijar-se e levar vida regalada; e também que é dom de Deus que possa o homem comer, beber e desfrutar o bem de todo o seu trabalho. Sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe pode acrescentar e nada lhe tirar; e isto faz Deus para que os homens temam diante dele. O que é já foi, e o que há de ser também já foi; Deus fará renovar-se o que se passou.”. (Ec.3:12-15).

Aqui o Sábio alcança o coração do crente e do incrédulo, porém com resultados diferentes. Pois, para o incrédulo, estas palavras soam com total desesperança. Como tudo é dom de Deus e nada podemos tirar ou acrescentar em sua obra, o incrédulo encontra-se na arapuca de um sistema que não pode de maneira nenhuma torcer ou quebrar.

Para o homem descrente e moderno estes versículos são um brado de desespero. A existência para o descrente é um sistema fechado, não como escapar dela, nem como torcê-la e nem tão pouco quebrá-la. Esta explanação do Sábio se torna uma espécie de fardo para o incrédulo (Rm.11:22).

No entanto, para os que servem, para os que conhecem, para os que são crentes e tem intimidade com o Senhor tudo isso soa muito diferente em alto e bom som. Tudo que Deus faz é bom e tudo que Deus faz Ele está seguro, porque o que move o coração criador d’Ele é o AMOR, assim sendo se Deus é amor, então nada é em vão, ao contrário dos empreendimentos humanos, Seu amor dura para sempre. O chorar e o sorrir vêm d’Ele, o abraçar e o afastar de abraçar também vem d’Ele e com isso o crente sabe que Seus planos são perfeitos e não precisam de correção.

Talvez você esteja questionando: Por que a vida é assim? “E isto Deus faz para que os homens temam diante d’Ele” (Ec.3:4). Salomão nos adverte várias vezes acerca de temer ao Senhor, por que será que é tão importante assim temer ao Senhor?

Primeira coisa: Somente Deus é Deus e não há outro além d’Ele. Só Ele sabe de todas as coisas e é soberano sobre tudo. Se soubéssemos da forma que Ele sabe já seríamos deuses também. Segunda coisa: O temor a Deus representa uma aliança de amor, de gente que reconhece o seu perdão e com gratidão e espontaneidade servem ao Senhor (Sl.130:4).

Temer a Deus é amá-lo com todo o seu ser com tudo que és e oferecer tudo no seu altar. Essa para mim é a melhor definição de adorador: “Aquele que oferece tudo no altar de Deus”. Nem sempre iremos deparar com tudo formoso ou apropriado, contudo, experimentar Deus, conhecer seu caráter divino, e conhecê-lo pessoalmente, concede-nos a estrutura para a fé, que brada: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo”.

Por Lindomar J. S. - Teólogo

#Compartilhar