Tu és Soberano!

ampuleta“Tempo de amar, e tempo de aborrecer; tempo de guerra, e tempo de paz.”. (Ec.3:8).

O Sábio mais uma vez nos orienta claramente acerca do plano de Deus, ou seja, até as calamidades da vida estão inclusas em Seu perfeito plano.

O tempo de amar é momento maravilhoso, entretanto, quem decide amar tem que se preparar para aborrecer-se. Isso parece soar estranho, pois como amando eu posso me aborrecer? Quando amamos alguém, muitas vezes, primeiramente somos levados a nos identificar com as qualidades dela. Contudo, ela não tem apenas qualidades, ela também tem defeitos. Assim sendo, quando decidimos amar alguém temos que estar preparados pra perdoar e sermos perdoados.

O amor e o ódio expostos aqui não se referem apenas ao relacionamento entre pessoas, mas às relações entre as nações. Diz o texto que há um tempo de guerra também que quando Deus toma da espada para destruir as nações incrédulas da terra, e há também um tempo no grande plano do altíssimo de paz.

Eu não gosto de guerra, acredito que você também não, e tenho certeza que Deus muito menos, mesmo quando é necessário usá-la para julgar as nações. Até nossos maiores, melhores planos poderão falhar. Gente morre, guerras se explodem, e somente aquele que discerne todas as coisas é que confia na bondade de Deus pode encarar tudo de frente e saber que, de alguma maneira, tudo está sob sua soberania e providência divina.

Deus não planeja nossas dificuldades, mas ele as permite, pois aí Ele faz com que todas as coisas, todas as experiências da vida, cooperem para o bem. O homem natural não consegue entender a providência divina, nem nos tempos de Salomão e nem nos de hoje, todavia ela é verdadeira e autêntica.

Refletir sobre isso me faz lembrar-se de um cântico antigo que cantávamos nas reuniões de jovens: “Tu és soberano, sobre a terra sobre os céus tu és Senhor, absoluto, tudo que existe e acontece tu o sabes muito bem tu és tremendo”. Ele é soberano amado(a) e creio que Deus poderá realizar seus próprios propósitos. Assim sendo, se entendermos isso na essência da palavra permaneceremos e desfrutaremos melhor do tempo de paz.

Por Lindomar J. S. (Teólogo).

#Compartilhar