Intelectualismo esvaziado de Deus!

burro-itelectual“Disse comigo: Eis que me engrandeci e sobrepujei em sabedoria a todos que antes de mim existiram em Jerusalém; com efeito, o meu coração tem tido larga experiência da sabedoria e do conhecimento. Apliquei o coração a conhecer a sabedoria e, a saber, o que é loucura e o que é estultícia; e vim, a saber, que também isto é correr atrás do vento. Porque na muita sabedoria há muito enfado; e quem aumenta ciência, aumenta tristeza”. (Ec.1:16-18).

O Sábio inicia seu exame das melhores coisas que o mundo visível tem para nos oferecer. Coisas que procuramos no tempo presente. Desta forma, ele examina a SABEDORIA.

Mas, não podemos deixar de salientar algo importante nesse exame, Salomão está observando o mundo visível, alienado de Deus, o mundo “debaixo do sol”. É necessário haver uma distinção acerca da sabedoria que ele está avaliando, o entendimento humano, da verdadeira e pura sabedoria que procede de Deus e que nos dá discernimento para vermos as coisas como Deus as vê.

Ele colocou o seu coração disposto em conhecer a sabedoria e descobriu o que é loucura e o que estultícia, para ser sábio e não um tolo, que isso também é como correr atrás do vento. O interessante é que quanto mais ele aprendia mais enfado e tristeza resultava em sua vida. Na medida em que seus pensamentos e sua visão clareavam, mais fácil se tornava da vida sair errada e que absolutamente nada terra é permanente. Todavia, quanto mais informações absorvemos, mais aprendemos quão pouco de fato sabemos.

Na medida em que se desenvolve nosso conhecimento, mais claramente vemos o quanto à vida é verdadeiramente precária. Nascemos e morremos (2:15); após morrermos não saberemos se nossos projetos prosperaram ou se ficaram no esquecimento ou se falharam (2:19). Quanto mais sabemos mais propícios de errar ficamos. Nossos erros nos confrontam e nos traz muito enfado e tristeza.

Excesso de conhecimento não nos leva a uma vida escassa de sofrimento e dor, pelo contrário normalmente nos conduz à maior mal. Estamos vivendo dias de um grande BUM de informações e conhecimento e mesmo diante de tão inesgotável fonte de saber, a humanidade continua cultivando autodestruição através de guerras, brutalidades e a violência. A tecnologia ajudou o homem a tornar sua crueldade mais eficaz. Santo Dumont não resistiu, dando cabo da sua própria vida, quando viu o que os homens foram capazes de fazer com sua invenção, a qual ele tinha o objetivo de melhorar e facilitar a vida de muita gente.

Cuide-se para não usar o conhecimento como fonte de satisfação, realização e paz que somente poderão ser encontradas em Cristo Jesus. Você deve estar pensando que eu estou sendo agora um incentivo para você de fato nem ligar mais para uma carreira estudantil, mas na verdade não isso que Salomão disse e nem tão pouco eu agora. Entretanto, creio que todos devem adquirir uma boa educação. Faço palestras pelas escolas do Brasil incentivando os alunos a serem mais aplicados, mais de 30 mil alunos já me ouviram dizer isso. É necessário continuar aprender como adultos. No entanto, sabedoria que não tem a Deus no centro é esvaziada de valor supremo.

Devemos, desesperadamente, buscar a sabedoria que vem do alto. Ao contrário só nos resta cultivar uma sabedoria terrena, animal e demoníaca. Amado(a) teme a Deus esse é o princípio da verdadeira sabedoria, fora disso todo conhecimento é esterco.

Por Lindomar J. S. - Teólogo - 

#Compartilhar