O ALTO PREÇO DA VERDADEIRA ADORAÇÃO

ADORANDOTEXTO BÁSICO: 2 SAMUEL 24: 18-25.

O texto nos conta a narrativa histórica de Davi, o grande rei; a ira do Senhor se acendeu contra o rei e o seu povo, Israel. Mas o rei Davi, nos ensina uma vida de altos e baixos, não só de pecados, mas também de arrependimento e obediência, uma verdadeira vida de adoração. Davi foi um adorador por excelência. Ele nos ensina a vivermos em adoração.

I. Adoração é uma ordem divina: (vv. 18-19).

i. A adoração é exigida de todos, até mesmo de um rei (v; 19);

ii. Deus busca adoradores que o adorem, em verdade e espírito (Jo 4.23b);

iii. Porque Deus habita, entre os louvores de seu povo (Sl 22.3);

iv. Jesus é o Emanuel, Deus conosco, Deus habitando entre os homens (Mt 1.23).

II. Dois tipos de adoração: (vv. 22-24).

i. A vida de adoração sem valor (vv. 22-23);

a. Nos leva ao risco de vivermos uma adoração de aparência (Is 29.13);

b. Leva-nos a religiosidade, nos anestesia, nos leva a uma acomodação (Apoc. 3.1b-2).

ii. A vida de adoração que custa certo preço (v. 24);

a. Adoração que não tem custo, também não tem valor (24);

b. Devemos oferecer a nossa vida como sacrifício vivo a Deus (Rm 12. 1);

c. Obediência é uma ação de adoração a Deus (1 Sm 15.22);

III. Uma vida de adoração resulta em bênção: (v. 25).

i. A adoração que envolve a disposição para sacrificar é recompensada com resultados (25).

A adoração encontrada no Antigo testamento foi transitória, tudo era sombra, daquilo que haveria de se cumprir em Jesus. Quando Davi adorou ao Senhor, levantando um altar na eira de Araúna, o Senhor Deus os perdoou, e assim cessou a peste, curando o povo.

Jesus Cristo é nosso Altar e também nosso Sacrifício, nossa oferta diante Deus, pelos os nossos pecados. Cessando assim o poder do pecado em nossas vidas. Ele ofereceu um sacrifício que lhe custou um preço! E nós temos oferecido o alto preço da verdadeira adoração?

 

Por Márcio Gonçalves

#Compartilhar