Exortação ao Crescimento Cristão

crescimentoTexto: 2 Pedro 1.3-11

A fé deve ser mais do que apenas a convicção em relação a certos fatos; deve resultar em ação, no crescimento do caráter cristão e na prática da disciplina moral. Caso contrário ela morrerá. O poder para se levar uma vida piedosa vem de Deus. Por não possuirmos os recursos para sermos verdadeiramente piedosos, Deus permite que sejamos “participantes da natureza divina” com a finalidade de nos afastarmos do pecado, e viver para Ele.

A) A Promessa dos Recursos Divinos (1.3,4).

O apóstolo faz uma afirmação extraordinária em relação a Cristo. O seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e à piedade. Pedro tinha visto o poder de Cristo acalmar o mar revolto e experimentado como esse poder o havia capacitado a caminhar sobre as águas; ele havia ouvido o Cristo ressuscitado afirmar que todo poder lhe tinha sido dado no céu e na terra; ele havia recebido o poder de Cristo na sua vida pelo Batismo do Espírito Santo.

A palavra poder (dynamis) indica uma energia constante e dinâmica habitando em Cristo por força da sua natureza como divino. A ideia principal desses dois versículos é que nessa natureza divina estão presentes energias (poderes) morais e espirituais suficientes para vencer na vida e piedade. Essas energias são expressas por meio de promessas específicas. Para que o homem tenha vida e piedade, ele deve reconhecer dentro dele essas energias que estão presentes na Divindade. Isso ocorre como resultado de um relacionamento de fé com essas promessas. Por meio da fé, recebemos conhecimento, participação e comunhão na natureza divina compartilhada com o homem por Deus em Cristo. Quando isso ocorre, o homem é salvo da corrupção – certamente um elevado privilégio – e conduzido para dentro da esfera ética à qual Pedro chama agora a nossa atenção.

B) A Responsabilidade do Homem Quanto a Crescer na Fé (1.5-7).

Longe de estar imóvel ou passivo, o princípio da fé, na verdade, nos lança no chamado de esforçarmos a completar o que nos falta à fé: “empregando todo o vosso esforço, acrescentai a virtude à vossa fé”. Assim a fé é a raiz da vida cristã; as obras são o fruto da vida fé.

A palavra, acrescentai, significa suprir ou adicionar. Ela vem da palavra composta epichorigeo, significando “ajuntar, fornecer uma coisa após outra, para que não haja falta ou brecha”. Assim Pedro nos fala a acrescentar um aspecto após o outro em uma bela ordem até que tudo na vida cristã venha estar completo e a vida cristã esteja plenamente equipada com cada virtude. Assim cada graça recebida ajuda a aperfeiçoar as outras. Todo processo chega ao clímax quando se acrescenta ao amor fraternal o amor, ou seja, o amor ágape, que não só se manifesta à manifesta a comunhão cristã mas também a Deus.

C) Os Resultados da Fé em Crescimento (1.8-11).

Pedro insiste que se em nós “essas coisas existirem e aumentarem em nós”, isso resultará em quatro (4) coisas. – frutificação crescente – não seremos deixados ociosos nem infrutíferos no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo (8); - Visão alongada - pois não seremos cegos, mas sim veremos ao longe(9); - Perseverança segura – pois fazendo isso nunca jamais tropeçaremos(10); - A eterna promoção – o reino eterno de nosso Senhor Jesus Cristo(11).

Por isso irmãos tendo estas palavras como exortação devemos cumpri – lá ou senão nos tornaremos fracassados espirituais. Agora eu te pergunto: Qual a sua posição diante dessas palavras? Você tem buscado aplicar este crescimento em sua vida ou você tem sido um crente infrutífero ou ocioso? Assim sendo tanto positiva quanto negativamente, orientações fortes são dirigidas ao cristão para fazer cada vez mais firme a sua vocação e eleição.

FONTE DE PESQUISAS.

-BIBLIA SAGRADA ALMEIDA SECULO 21

-COMENTARIO BIBLICO BEACON VOLUME 10

Por Márcio Gonçalves

#Compartilhar